Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os pavilhões do Parque - Uma jóia abandonada

IMG_0611.JPG

 

Andava com vontade de visitar as Caldas da Rainha desde que vi uma reportagem sobre os edifícios abandonados, que ainda elegantes, resistem à passagem do tempo no Parque D. Carlos I. No regresso a Lisboa, depois da visita ao Mosteiro da Batalha, o farto almoço pedia uma caminhada e este revelou-se o destino perfeito para um passeio. A localização é magnífica. No lago os patos e cisnes convivem com os barcos a remos, e os recantos de sombra sucedem-se entre as vastas áreas para brincar. Até existe um museu mesmo no centro do parque, dedicado ao grande pintor José Malhoa. No entanto é mesmo o enorme edifício abandonado que marca a paisagem, porque embora o interior esteja em estado preocupante, a fachada conserva a beleza de sempre.

 

A história remonta ao reinado de D. João V, quando se decidiu criar um parque de apoio ao hospital termal, para que os doentes em convalescença pudessem passear. No século XIX, Rodrigo Berquó, administrador do hospital remodelou profundamente o parque, tornando-o num dos mais atractivos e visitados do país. Ao mesmo tempo deu marcha ao seu sonho, criar uma estância termal de excelência, projectando os "pavilhões do parque”. Embora este enorme edifício tenha sido construído, quis o destino que nunca chegasse a cumprir a sua função. Nos 100 anos seguintes serviu de quartel militar, escola, esquadra de polícia e sede de várias entidades, até chegar ao estado de abandono em que hoje se encontra. Aparentemente a Câmara Municipal tem um plano para concessionar o espaço como hotel, mas o projecto tarda em arrancar. Esperemos que desta vez o sonho de Berquó saia do papel. Seria uma justa homenagem ver os "pavilhões do parque” finalmente a funcionar como um dos mais belos hotéis do país.

 

 

 

IMG_0654.JPG

IMG_0634.JPG

IMG_0677.JPG

 

 

Podem seguir as minhas fotos no Instagram, no Facebook ou subscrever os post por email, no fundo da página.

 

4 comentários

  • Está tudo bem, muito obrigado pela preocupação :) Parar foi uma opção, sim. Manter este blog com a qualidade que eu pretendo ocupa imenso tempo, e às vezes é complicado chegar a casa depois de um dia cansativo e ainda perder horas num post que meia dúzia de pessoas lê, ehehe. Beijinhos e um óptimo 2019!
  • Imagem de perfil

    Pedro 20.07.2019

    João,
    também já não me lembro se cheguei a enviar um e-mail ou a deixar comentário noutro post, mas estava aqui a fazer a gestão dos meus subscritores e apercebi-me como aqui o blog está quase a fazer um ano sem atualizações. Abri agora os comentários e é bom saber que está bem e que a falta de atualizações é só mesmo falta de disponibilidade. Não resisto é a dizer que mesmo meia dúzia de leitores ou interessados já é uma bela fatia de gente.. ;)
    Agora, se essa criatividade tem outro escape, tanto melhor!
    Um abraço!
  • Claro que o número de leitores não é o mais importante (não deixa no entanto de ser frustrante tanto trabalho e as visitas nunca aumentarem das poucas dezenas ). Os poucos leitores fiéis deste blog, onde o Pedro esteve desde o início, sempre foi uma grande motivação e motivo de orgulho. No entanto cheguei a um ponto, como já tinha acontecido em versões mais antigas do blog (que o Pedro também visitou!), em que isto deixou de ter piada. Chegar a casa depois de um dia em frente ao computador, para me ir enfiar ao computador outra vez durante algumas horas, a editar fotos e tentar inventar algum texto, já era mais uma obrigação que um divertimento. Obrigado e um grande abraço :)
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.