Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Mosteiro e a batalha por uma boa foto

IMG_0331 (1).JPG

 

  Com o Verão a teimar em não aparecer, as idas à praia vão sendo adiadas e há que encontrar programas alternativos. Felizmente não faltam ideias e este fim de semana aproveitei para ir até à Batalha, visitar o Mosteiro que já há algum tempo andava nos meus planos.

 

 Mandado construir por D. João I por volta de 1386, em agradecimento pelo triunfo na batalha de Aljubarrota, o Mosteiro de Santa Maria da Vitória é um dos mais belos monumentos portugueses. Se à chegada a fachada impressiona, com as suas linhas góticas rendilhadas por apontamentos manuelinos, a escala, elegância e simplicidade da igreja são de cortar a respiração. Sobretudo quando a luz, em tom lilás, pinta levemente as colunas da nave central, filtrada pelos vitrais. Igualmente imponente e também com uma luz incrível, é a Capela do Fundador, onde está sepultado o Rei D. João I, a rainha Filipa de Lencastre e os príncipes de Avis.

 

IMG_0223-Edit.JPG

IMG_0207 (1).JPG

IMG_0337 (1).JPG

IMG_0322-Edit.JPG

IMG_0319-Edit.JPG

IMG_0367-Edit.JPG

 

 Ao entrar nos claustros, uma surpresa. Desconhecia que numa das salas (a Sala do Capítulo), existe um túmulo ao Soldado Desconhecido, guardado por dois militares de sentinela. Quis a sorte que estivesse precisamente na hora da cerimónia do render da guarda, pelo que a entrada nos claustros se fez ao ritmo de uma marcha militar.

 

Nos claustros podem ainda ser vistas duas exposições temporárias, uma de trajes tradicionais e outra de grandes esculturas de maneira, dispostas ao longo dos corredores. Eram engraçadas, sem dúvida, à excepção de um pormenor importante. Uma delas foi colocada precisamente na entrada das Capelas Imperfeitas. Até sou uma pessoa que aprecia arte, como sabem, mas admito que fiquei vagamente aborrecido por me terem estragado a foto que mais queria tirar... Tal como a senhora de ontem, lá fiz as figuras que tinha de fazer. De joelhos por baixo do queixo da enorme estátua de madeira para conseguir fotografar o deslumbrante portal manuelino, uma das mais impressionantes obras do património português. Devido ao ângulo demasiado baixo, a foto não ficou bem como queria, mas com algum contorcionismo e muita paciência, lá consegui uma de que gostei. Ainda ponderei trepar para as cavalitas da pobre figura, mas achei que ser preso por atentado ao património era demasiado por uma boa foto - mas estive quase, admito. Para a próxima tenho de analisar o calendário de exposições com antecedência...

 

IMG_0431.JPG

IMG_0437-Edit.JPG

 

IMG_0396 (1).JPG

IMG_0446.JPG

IMG_0499 (1).JPG

IMG_0587-Edit.JPG

 

 Como ultima nota, deixo uma sugestão. Durante os Sábados deste mês, mediante marcação, realizam-se visitas guiadas pelos telhados do Mosteiro, com o tema "Gárgulas: Função e Forma. Do Céu ao Solo". Infelizmente só soube disso no próprio dia e já não fui a tempo de aproveitar, mas fica a informação para que não percam a oportunidade. 

 

 

Podem seguir as minhas fotos no Instagram, no Facebook ou subscrever os post por email, no fundo da página.

 

4 comentários

Comentar post

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.