Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Experiência Pilar 7 - Outra maneira de ver a Ponte 25 de Abril

IMG_4693.jpg

  

No final de Setembro contei aqui a minha passagem pelo novo elevador da Ponte 25 de Abril. Na altura ainda se preparava a inauguração, pelo que me limitei a fotografá-lo do lado de fora do gradeamento. Mas o que vi despertou-me a curiosidade e esta semana passada, aproveitei uns dias de férias para fazer uma visita.

 

Logo como primeira impressão, gostei da valorização arquitectónica do pilar que serviu de ponto de partida a este centro de interpretação. Nos novos espaços, projectados pelo arquitecto António Borges, usaram-se muitos materiais metálicos, reflexos e contrastes de luz, para criar uma experiência visual marcante. Seria fácil cair no exagero, já que todo o espaço quase acaba por ter o aspecto futurista de uma nave espacial, mas as linhas são simples e elegantes, complementando perfeitamente o que já estava construído desde os anos 60. 

 

IMG_4497.jpg

 

Para mim, que gosto de fotografar arquitectura, só isso já valia o preço do bilhete. Mas esta experiência tem mais a oferecer. Existe a opção de comprar dois bilhetes separados. A visita ao Centro de Interpretação custa 6€ e a experiência de realidade virtual, que acrescenta 1,5€ ao preço da visita.

 

Eu comprei os dois e comecei pela sala de realidade virtual. Aí colocam-se uns óculos que nos levam numa visita de poucos minutos, em que somos guiados por dois dos técnicos que fazem a manutenção da ponte. Vamos mesmo junto à água, na base que fica a meio do Tejo, subimos até ao ponto mais alto e andamos em cima de um dos cabos que liga os dois pilares. Só é pena a qualidade dos óculos não ser a melhor. O vídeo não tem muita resolução, quebrando um bocadinho a ilusão. Mas mesmo assim é uma vista de cortar a respiração.

 

IMG_4502.jpg

 

Terminado o "passeio", segui para o centro interpretativo. Depois de validar o bilhete sai-se para o exterior, seguindo um percurso que nos obriga a passar junto ao sétimo pilar da ponte. É uma estrutura enorme, composta por três grandes blocos de betão. O pilar em si ao centro e, nas laterais, os suportes para os enormes cabos que seguram o tabuleiro.

 

IMG_4789-Edit.jpg

IMG_4739.jpg

 

Este é aliás um dos pormenores mais curiosos da visita. Estes três blocos de cimento são ocos e visitamos o seu interior. O espaço, já de si imponente, é valorizado por enormes espelhos e focos de luz bem colocados. O maciço central, devido aos espelhos que cobrem quase todo o chão, parece um volume de altura quase infinita. Tanto assim que uma senhora que ia à minha frente na visita, demorou largos minutos a ganhar coragem para percorrer esta sala. A sensação estarmos perante um abismo pode ser desafiante para quem tiver vertigens.

 

IMG_4546 (1).jpg

IMG_4565.jpg

 

IMG_4564.jpg

 

Antes de se chegar a esta zona, existe uma pequena sala com a cronologia da construção da ponte. E é aqui que tenho um reparo a fazer a esta "Experiência Pilar 7". Gostava que houvesse foco um pouco maior na história deste monumento nacional. Percebo que o grande objectivo tenha sido criar mais uma experiência que um museu (como o nome indica) e isso foi plenamente conseguido. Sente-se que se está a viver a ponte, mais do que a aprender sobre ela. Mas falta uma zona de exposição um pouco mais convencional, onde se aprendesse sobre a Ponte 25 de Abril de forma um pouco mais clara.

 

IMG_4522.jpg

IMG_4524 (1).jpg

 

Passando a sala dos espelhos, chega-se ao elevador, onde se inicia a subida ao tabuleiro. Sejamos sinceros, há melhores vistas sobre a cidade de Lisboa, até porque este não é o ângulo que mais favorece a ponte. Mas Lisboa é bonita de todos os seus miradouros e este não é excepção. A plataforma oferece uma visão privilegiada sobre o Tejo e a parte ocidental de Lisboa, Alcântara, Ajuda e Belém. 

 

IMG_4627.jpg

IMG_4643.jpg

IMG_4604.jpg

IMG_4688.jpg

 

Quando o Sol finalmente desceu no horizonte, aproveitei a deixa e dei a visita por terminada. Entre a vista, a arquitectura do espaço e as fotos que tirei, devo dizer que gostei bastante desta experiência do Pilar 7.

 

Informações úteis:

 

A entrada faz-se pela Avenida da Índia, um pouco antes do Centro de Congressos de Lisboa (antiga FIL).

 

O horário de funcionamento é das 10h às 18h. O bilhete custará 6€, para o Centro Interpretativo, mais 1.5€ para a experiência de realidade virtual.

 

IMG_4761.jpg

IMG_4817.jpg

 

Podem seguir as minhas fotos no Instagram, no Facebook ou subscrever os post por email, no fundo da página.

 

Nova cara para o Cais do Ginjal

IMG_4763.jpg

 

Depois de anos de promessas, avanços e recuos, foi finalmente anunciado, a semana passada, o plano de recuperação do Cais do Ginjal. 

 

A vista fabulosa e a beleza e tranquilidade do local levam muita gente a percorrer este passeio ribeirinho, com cerca de um quilómetro de extensão. É frequente ver famílias a aproveitar os dias de bom tempo, pessoas a andar de bicicleta ou a correr. Isto junto a edifícios a cair aos bocados, que ostentam nas fachadas avisos de perigo de derrocada. Já não era sem tempo, e esperemos que desta vez seja mesmo para avançar.

 

O projecto ainda será alvo de discussão pública, mas sabe-se que a zona pedonal vai ser alargada. Além de prédios para habitação, vai também ser contruido um hotel, onde ficava a antiga fábriga de bacalhau - aqueles edifícios lá no alto, na primeira foto. 

 

Segundo a notícia do Público, tudo isto não demorará menos de 10 anos estar concluído. O que provavelmente quer dizer que daqui a 20 anos estarei a publicar as fotos da inauguração...

 

IMG_4770 (1).jpg

IMG_1568.jpg

IMG_1576.jpg

IMG_1533.jpg

IMG_1528.jpg

 

Podem seguir as minhas fotos no Instagram, no Facebook ou subscrever os post por email, no fundo da página.

 

 

O Padrão dos Descobrimentos

IMG_6250 (1).jpg

 

 Após um período, de cerca de uma semana, em que esteve encerrado ao público, o Padrão dos Descobrimentos voltou a abrir este fim de semana.

 
Foi o fim de um ano e pouco de trabalhos de limpeza e restauro do emblemático monumento, que agora se encontra de cara lavada, e pronto a receber os magotes infinitos de turistas que por estes dias invadem a capital.
 
Claro que às 7 da manhã ainda imperava o sossego, e só um ou outro corredor mais madrugador cruzava a frente ribeirinha.
 
Ainda tentei fotografar a Torre de Belém, mas um espalho épico, nos degraus que descem até ao rio, dissuadiu-me imediatamente.
 
Mas não se preocupem. Estou praticamente inteiro.  Ainda bem que tenho estas pancadas de me levantar cedo... Umas horas mais tarde e as imediações estariam infestadas de câmaras. Era peripécia para acabar no Youtube... 

 

IMG_6243.jpg

IMG_6230 (1).jpg

 

 

Podem seguir as minhas fotos no Instagram, no Facebook ou subscrever os post por email, no fundo da página.

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.