Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Falar de fotografia

IMG_7920.jpg

 

Estava a passear pelo instagram quando, por acaso, vi um anúncio a um workshop de fotografia de viagem com o Joel Santos, organizado pela Canon.

 

O instagram encaminhava para a página do facebook, que também não explicava muitos pormenores, além da data e local. Pedia para enviar os dados de inscrição por e-mail, a quem estivesse interessado.

 

Nem pensei duas vezes. Escrevi tão rápido quantos os dedos me permitiram. 

 

Afinal não é todos os dias que se tem oportunidade de fotografar ao lado do melhor fotógrafo de viagens do mundo.

 

Tive sorte, fui um dos vinte primeiros a responder. As inscrições fecharam quase tão depressa como começaram.

 

Foi um dia inteiro em Sintra e Cascais. De manhã um passeio pela vila de Sintra, e um belo almoço na Praia das Maçãs. À tarde, uma sessão fotográfica na floresta, e uma viagem até ao Cabo Raso, com lanche pelo meio. Em convívio com pessoas divertidas, com vontade de aprender, e uma organização exemplar. Aliás há que deixar os parabéns a toda a equipa da Canon Portugal responsável por este evento.

 

Curiosamente, quase não fotografei. Em Sintra foi complicado, ou pelo número de turistas, ou pelo próprio grupo, que entupia as ruas estreitas. Na floresta o espaço era ainda mais apertado, por incrível que pareça. E no Cabo Raso, o vento era tanto que o objectivo de fotografar o pôr do Sol foi posto de parte. As ondas embatiam com estrondo nas rochas, e o ar estava tão cheio de água, sal e poeira, que as objectivas ficavam imediatamente sujas.

 

E no entanto... foi um dia espectacular. Tive a sorte de conseguir estar quase sempre perto do Joel, mesmo ao almoço. E mais do que aspectos técnicos, que ele obviamente domina, ouvi as suas histórias. As situações incríveis porque passou em viagem. A maneira criativa como "inventou" várias das suas fotos emblemáticas. Como começou a fotografar, e a fazer disso vida.

 

Cada vez mais tenho noção que o mais importante em fotografia, muito mais que os aspectos técnicos, é a capacidade de ter uma visão própria e coerente. De ser capaz de identificar numa cena aquilo que nos cativa, e todo o processo que se segue para capturar esse momento da melhor maneira.

 

Nisso o Joel Santos é extraordinário. Como fotógrafo, claro, mas também como comunicador. Sempre disponível a explicar o seu processo. Nunca como uma pessoa que se acha melhor ou superior, mas como alguém que tem tanta paixão pelo que faz, que tem de partilhar as suas experiências.

 

E isso foi mesmo inspirador.

 

A Canon vai organizar mais workshops, com alguns dos melhores fotógrafos nacionais nas suas respetivas áreas. Incluindo o Fernando Guerra, um dos melhores dos mundo na fotografia de arquitectura. Estejam atentos ao facebook da Canon, porque vale a muito a pena ter o privilégio de participar num evento destes.

 

IMG_7782.jpg

IMG_7796.jpg

IMG_7821.jpg

IMG_7814.jpg

IMG_7859.jpg

IMG_7879.jpg

IMG_7897.jpg

IMG_7892.jpg

IMG_7906.jpg

IMG_7909.jpg

 

Podem seguir as minhas fotos no Instagram, no Facebook ou subscrever os post por email, no fundo da página.

 

 

De Volta ao Cabo Raso

IMG_5165.jpg

 

Há umas semanas, tinha planeado, com um amigo meu, ir tirar umas fotos ao Cabo Espichel e a Sesimbra. Quando acordei de manhã, estava um dilúvio a abater-se contra a minha janela, e vi logo que não ia acontecer. Acabámos por ir à mesma almoçar. Talvez o tempo à tarde melhorasse, e desse para ir a algum lado. E assim de repente, as núvens dissiparam-se e ficou um belo dia de Sol.

 

Lembrei-me então de irmos até ao Farol do Cabo Raso - o meu amigo ainda não conhecia a zona - e assim ele também podia treinar as longas exposições (e bem precisa, coitado  ).

 

Ainda passámos pelo Guincho, que o rapaz não podia ficar sem conhecer uma das praias mais bonitas da região de Lisboa, e lá chegámos finalmente ao farol. Fomos tirando algumas fotos, à paisagem e aos pescadores que por lá andavam, enquanto esperávamos que o Sol se pusesse.

 

E ao fim do dia, com o Sol já abaixo do horizonte, lá tentámos as nossas longas exposições (ver explicação algo aborrecida, aqui). A maior parte não ficou como queria, mas consegui tirar uma com que fiquei satisfeito (a primeira deste post).

 

A partida que o tempo nos pregou, até acabou por compensar. Foi uma tarde divertida. Mas fica a promessa de que este é o ano em que vou fotografar ao Cabo Espichel! 

 

IMG_5114.jpg

IMG_5123.jpg

IMG_5135.jpg

IMG_5140.jpg

IMG_5142.jpg

 

 

Podem seguir as minhas fotos no Instagram, no Facebook ou subscrever os post por email, no fundo da página.

Cabo Raso - Uma Espécie de Making Of

 

 

O Sol punha-se às 17:25 no Domingo. Sensivelmente um minuto antes que no dia anterior. À volta de um minuto depois do que se iria pôr no dia seguinte. Saí de casa atrasado. Tinha ido correr e demorei mais do que tinha antecipado. 

 

Fiz a A5 ao ritmo a que o Sol descia no horizonte. Passei pelo Guincho, e invejei os surfistas - o tempo deles era o das ondas. Estacionei perto do Cabo Raso, eram 17:15. Não foi o ideal, o Sol já preparava o seu mergulho, e eu ainda tinha de encontrar o sítio para fotografar. E afinal o sítio era óbvio. Tinha de ser "ali", onde as rochas criam uma pequena enseada, à frente do Farol. Tão óbvio, aliás, que já alguém tinha tido a mesma ideia. Outro fotógrafo, que tinha medido melhor o seu tempo.

 

Um pobre pescador, insatisfeito pela súbita competição pelo pouco espaço disponível, fez cara de poucos amigos. Retirou-se, resignado. Mudou-se para as rochas mesmo em frente. No sítio ideal, no tempo perfeito. O figurante que precisava para a minha história.

 

E o resultado de tudo isto? Já puderam ver no meu último post, em que publiquei algumas das minhas fotos preferidas desse dia.

 

 

0 (5).gif

 

0 (6).gif

Cabo Raso

Cabo Raso

Cabo Raso

Cabo Raso

 

O Farol do Cabo Raso

IMG_5093 (1).jpg

 

Este Domingo decidi ir até ao farol do Cabo Raso. E desta vez, para variar, fui ao fim do dia. Gostaria de dizer que fiquei curado da minha tendência para madrugar aos fins de semana. Mas não. Foi simplesmente porque, sendo o farol virado para Oeste, é ao pôr do Sol que a luz o ilumina de frente.

 

Esperei que o Sol descesse no horizonte, para fazer umas longas exposições*, e conseguir este efeito de arrastamento na água. Não é uma técnica que domine bem, e por isso tenho de tentar aplicá-la mais vezes. Levei com um ou dois borrifos de onda em cima, mas valeu a pena. Ainda por cima, e como até tem sido hábito, tive a sorte de ter a colaboração de um pescador para compôr a cena.

 

* Existem certos e determinados leitores deste blog (), curiosos por saber o que é uma longa exposição. No entanto, como consta que eu não tenho a capacidade de explicar esse conceito, sem fazer as pessoas adormecer ( ), aqui fica este tutorial da Canon! (Que apesar de ser, certamente, escrito por profissionais altamente qualificados, deverá ter aproximadamente o mesmo efeito...) 

 

IMG_5071.jpg

IMG_5052-Edit.jpg

IMG_5095.jpg

IMG_5101-Edit.jpg

 

P.S. Agora podem subscrever os meus posts, e recebê-los por email, usando a caixa de subscrição no fundo da página.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.