Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Florença - A melhor loja de todo o sempre... é esta!

 Foi por acaso que dei de caras com esta loja. Chamou-me à atenção uma mancha de cor, numa rua perfeitamente banal de Florença.

 

Voltei atrás. Era uma loja pequenina, mas o que vendia era... inesperado. Quanto a vocês não sei como reagiriam, mas para mim foi impossível não ficar colado à montra, com um sorriso de orelha a orelha. Alinhados meticulosamente ao longo de várias prateleiras, arrumavam-se os únicos artigos vendidos nesta loja...  patinhos de borracha!

 

IMG_1332.jpg

 

IMG_1333.jpg

IMG_1336.jpg

IMG_2770.jpg

 

Patos, e mais patos. Patos de filmes, patos de cidades, patos de profissões, patos que representavam casais de várias orientações sexuais. E até, imagine-se, patos que representavam outros animais. Um pato elefante, um pato panda, um pato ovelha... 

 

Comprei dois. Um pato Darth Vader (obviamente!) e um patinho amarelo, simples e mais pequenino que estes que aparecem nas fotos.

 

Mas não foi nada fácil escolher! Fico à espera de saber no comentário a vossa opinião, sobre qual é o pato mais engraçado. Eu pessoalmente não consigo dizer. Declaro um empato técnico. 

 

IMG_2769.jpg

 

Quando mais tarde nesse dia visitámos o miradouro da praça Michelangelo, decidi usá-lo como modelo para algumas das minhas fotos. Foi um sucesso. Até me vieram pedir se também podia tirar fotos à magnifica vista com o meu pequeno patinho amarelo no enquadramento. Foi um caso claro de empatia à primeira vista!

 

IMG_3049.jpg

 

A loja, apropriadamente chamada "Florence Duck Store", fica na Via della Vigna Nuova. Deixo no entanto a nota, este não é um post patocinado

 

Podem seguir as minhas fotos no Instagram, no Facebook ou subscrever os post por email, no fundo da página.

 

Florença - Lojas, mercados e um javali materialista

Como disse no  post anterior, são muitas as lojas que nos encantam em Florença. Das mais tradicionais e cheias de história às mais modernas. Por todo o lado vendem-se tecidos ou peles, que enchem as ruas de cor (os trabalhos em pele são umas das tradições da cidade).

 

Até existem lojas quase inteiramente dedicadas a Gepetto e o seu Pinóquio, com trabalhos em madeira. E vários mercados. O mais famoso é o Mercado del Porcellino. Se passarem por lá, esfreguem o nariz ao Javali. Mas antes têm de colocar-lhe uma moeda na boca. Sim, que ele tem este ar bonacheirão, mas não anda aqui a trabalhar de graça. Se a moeda rolar para dentro da grelha de metal, no fundo da fonte, é sinal sorte garantida - dizem, que ainda estou para ver os resultados! 

 

IMG_1926.jpg

IMG_2446 (1).jpg

IMG_2651 (1).jpg

IMG_2798.jpg

IMG_3244.jpg

 

Fica por mostrar a grande descoberta da viagem. É só a melhor loja de todo o sempre, que descobri por completo acaso. Mas vou fazer suspense... Vão ter de esperar até à próxima semana. 

 

Podem seguir as minhas fotos no Instagram, no Facebook ou subscrever os post por email, no fundo da página.

 

Florença - A farmácia mais antiga do mundo

IMG_1390.jpg

 

São muitas as lojas que nos encantam em Florença. Antigas, tradicionais, modermas e originais. Há de tudo. Mas uma das mais espectaculares fica muito perto da Igreja de Santa Maria Novela, numa rua que vai desembocar à praça do mesmo nome. É a Officina Profumo-Farmaceutica di Santa Maria Nuova. Funciona ali, há mais de quatro séculos, uma das mais antigas lojas do mundo ainda em actividade.

 

O espaço, como ainda existe hoje, começou a funcionar em 1612, mas sua origem remonta a 1381, altura em que os monges Dominicanos de Santa Maria Novela, começaram a vender bálsamos e outras elixires medicinais, especialmente durante os períodos de epidemias.

 

Hoje em dia continuam-se a vender chás, infusões, perfumes e vários preparados medicinais. O espaço funciona quase como um museu vivo, uma vez que muitos dos armários, balcões e utensílios ainda são os originais, ou contam já com muitos anos de história.

 

IMG_1370.jpg

IMG_1399 (2).jpg

IMG_1382.jpg

IMG_1386.jpg

IMG_1387.jpg

 

Podem seguir as minhas fotos no Instagram, no Facebook ou subscrever os post por email, no fundo da página.

 

O olhar da Catarina sobre as minhas fotos

IMG_5773 (1).jpg

 

Hoje trago-vos um texto da autora de um dos blogs que mais gosto de ler. A Catarina Duarte, do blog (in)sensatez. Desta vez não é um conto, mas uma reflexão sobre Lisboa e o momento que vivemos. Se conhecem o (in)sensatez, sabem a paixão com que a Catarina escreve sobre a sua cidade e as causas em que acredita. É por isso com enorme orgulho que a vejo escrever sobre estes temas a propósito de uma das minhas fotografias.

 

 

Depois te ter dito que não conseguia escolher uma imagem de entre tantas, tão boas, que o João fotografa, depois de muito andar com o feed do instagram para cima e para baixo, lá parei em frente desta. E por ali me deixei ficar. De um momento para o outro, estava escolhida a minha fotografia.

 

Porquê esta?

 

Porque, na minha perspetiva, ela define o modo como eu vejo a fotografia: ângulos e linhas, mesmo quando não há simetria, mesmo quando está cada um para seu lado, mesmo quando os desvios estão de costas voltas, as linhas cruzadas e tortas e estreitas e encolhidas, mesmo quando um carro passa para sujar, como se essa falta de esquadria, essa falta de limpeza, ainda desse mais piada à própria orientação estética da imagem.


Mas também porque é actual. Numa altura em que se discute tanto o cor-de-rosa e o azul, numa altura em que o cor-de-rosa é de meninas mas também, de forma quase obrigatória, de meninos; numa altura em que o azul é de meninos mas também, de forma quase obrigatória, de meninas, estes dois edifícios, existem, lado a lado, escolhidos, desenhados e, principalmente, pintados, talvez por homens, talvez por mulheres, para embelezar esta cidade que se quer justa, que se quer tolerante, que se quer igualitária.


Por todas estas razões mas, talvez, agora que penso nisto, por nenhuma em concreto. Na verdade, Lisboa, como bem sabemos, não precisa de fazer nada, vaidosa e dissimulada, estendida neste rio que lhe reflete constantemente a beleza, limita-se apenas a existir, com o único propósito de a conseguirmos fotografar.

 

Obrigado Catarina 

 

Estou a contar com as vossas participações! Para se inspirarem dêem uma vista de olhos pelo meu instagramEscrevam uma história de ficção, sobre um episódio da vossa vida, ou simplesmente sobre para onde a mente vos faz viajar. Enviem-me a vossa participação para o meu email (joaoandreqff@gmail.com) e irei publicando aqui no blog.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.