Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fotógrafa Convidada: Mariana Capela

 

Hoje tenho o prazer de vos apresentar o trabalho de Mariana Capela, uma jovem fotógrafa cujo blog descobri por acaso, já há algum tempo, mas que desde então tenho tido o prazer de seguir com atenção.

 

Um fotógrafo de qualidade tem obrigatoriamente de ter uma visão coerente e um estilo imediatamente reconhecível, e foram essas características que primeiro me chamaram à atenção no trabalho da Mariana. As fotos que ilustram este artigo foram tiradas em 2008, quando ela tinha apenas 15 anos, e foram escolhidas por apresentarem um lado menos visto na sua obra, que tem geralmente um grande ênfase na fotografia de moda.

 

 

Posto isto, passo a palavra à Mariana:

 

Desde sempre que gosto imenso de fotografias. Quando era pequenina gostava que me tirassem fotografias em todo o lado para um dia mais tarde poder vê-las e recordar-me do passado.Quando tinha aproximadamente 13 anos comecei a ver as fotografias que a minha madrasta tirava... Apaixonei-me. Adorava seguir o trabalho dela, o que foi, sem dúvida um dos factores que me levou a começar a fotografar. Outro factor também importante foi o facto de a minha irmã (filha da minha madrasta e do meu pai) também gostar de fotografar e ter seguido as pegadas da mãe desde cedo.

 

9058821_Pcge5.jpeg

 

Sempre que estávamos juntas fotografávamos e eram momentos bastante divertidos. Usávamos uma máquina compacta e passávamos a vida a tirar fotografias. Com o passar do tempo o bichinho foi crescendo. No entanto, existe outro factor que para mim foi o mais importante: o meu pai. Ele sempre gostou muito de ver fotografias (pelo menos do que me recordo). Se ia a algum lado ele pedia-me sempre para tirar fotografias.

 

 

Lembro-me que uma vez fui a um baptizado com a minha irmã de uma prima da parte da mãe e ele mandou-nos a máquina fotografica e pediu que tirássemos muitas fotografias. Ele gostava de poder ver e um dia mais tarde recordar. Com a morte dele eu procurei algo que me fizesse sentir perto dele. Comecei por jogar basquetebol (o seu desporto) pelo qual também me apaixonei até que um dia recebi uma máquina fotográfica compacta. Comecei por tirar fotografias banais, tal como toda a gente e depois sentava-me no computador a vê-las e isso fazia-me recordar o meu pai. Então, um dia, pensei que podia tentar levar a coisa mais a sério, pensei que talvez conseguisse fazer imagens mais bonitas das quais o meu pai se orgulharia se as visse.

 

 

E foi mais ou menos assim: com a inspiração dada pela minha madrasta e a minha irmã e com a vontade de querer fazer algo do qual o meu pai se orgulharia, mergulhei por este mundo e apaixonei-me perdidamente. Hoje faço porque gosto, porque é algo que me faz sorrir. É aquilo que faço quando estou cansada, é aquilo que me move quando acabei de correr 3 km, é aquilo que me alimenta a alma e me faz feliz...pouco me interessa se as fotografias vão ficar perfeitas e totalmente focadas ou direitas. Fotografar não é isso! Uma fotografia pode ser linda e estar torta, com grão e mal focada, apenas tem que ter o elemento essencial: paixão pela arte.

 

  

Mariana Capela

14 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.