Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

João Freitas Farinha - Fotografia

João Freitas Farinha - Fotografia

Fotógrafo Convidado: Rui Martins

O meu interesse por fotografia começou quando no 10º ano do Liceu (inícios dos anos 90) tive como disciplina Jornalismo e Comunicação e aí um contacto directo com a câmara escura da escola. Um dos meus colegas de turma, já mais avançado na fotografia, incentivou-me ainda mais emprestando-me uma das máquinas do pai que ele utilizava e íamos para o cais da Póvoa tirar fotografias e depois revelávamos os filmes na câmara escura do Liceu, que tínhamos acesso livre.

 

 

No ano seguinte seguimos caminhos diferentes e por razões económicas não pude continuar com a fotografia, apenas admirar nas livrarias e bibliotecas os livros dos grandes mestres - o meu pouco conhecimento é feito pela leitura e mais recentemente através da internet. O gosto pela fotografia era tal que até ponderei seguir uma licenciatura na área, no final do secundário, mas fui estudar algo completamente diferente.

 

 

Aquando dos meus 18 anos comprei a primeira máquina (analógica, claro!) e fui sempre o fotógrafo de serviço: nas férias com os amigos, nas festas de família e até quando cumpri o serviço militar, mas sempre um fotógrafo que documentava o momento, nunca pensando que poderia fazer outro tipo de fotografia, até porque, para mim (um jovem adolescente), a fotografia não era barata e, muito por causa disso, fui-me afastando da sua prática.

 

 

Até que há cerca de cinco anos comprei uma máquina digital compacta (a que ainda utilizo hoje) e aquele gosto ressuscitou, levando-me a criar o meu primeiro blogue em 2008.

 

Penso que sou eclético e gosto de fotografar e experimentar um pouco de tudo, dentro dos meus conhecimentos e limitações técnicas da minha máquina, mas o tipo de fotografia que mais faço, neste momento, é natureza morta e de estúdio (caseiro e improvisado) por razões logísticas, até porque não é fácil sair à rua para fotografar com uma bebé pequena.

 

Exemplo disso é uma das minhas últimas séries, que aqui apresento: “of paper sheets”.

 

 

À procura de objectos para fazer experiências com a técnica Light Painting, encontrei estas folhas de papel e achei que teriam possibilidades interessantes. Criado o estúdio improvisado numa arrecadação no meu local de trabalho, com duas caixas empilhadas e uma folha de cartolina preta de fundo; uma lanterna; tripé e longas exposições enquanto “pintava” a cena com luz. Com tentativa e erro lá chegava a uma imagem satisfatória.

 

Rui Martins, ruimnm Photography

 

15 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.