shopify site analytics

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

João Freitas Farinha - Fotografia

João Freitas Farinha - Fotografia

A todo o GÁS!

IMG_4779.jpg

 

Cobleskill é uma daquelas pequenas cidades insuspeitas, dos filmes americanos, em que as maiores atribulações acontecem. E como num desses filmes, foi um golpe do destino que lá nos levou.

 

Tinhamos saído de carro de Chicago, passado por Detroit, e por Toronto, e agora iamos para a costa este, rumo a Boston. Das cataratas do Niagara, de onde saímos, até ao destino, são quase 900 km, e esta foi a única etapa da viagem em que não planeámos completamente. Tinhamos pensado que provavelmente não iriamos fazer tudo de uma vez só, mas não tinha ficado definido. Nem quando nos fizemos à estrada, no carro que tinhamos alugado para esta aventura. Se estivéssemos demasiado cansados, dormíamos algures a meio do caminho.

 

A cerca de dois terços da viagem, com a neve a não dar tréguas, reparámos que o ponteiro da gasolina estava a descer ainda mais que o da temperatura. Nada de preocupante, o GPS tinha a indicação dos postos de combustível. Primeiro posto, falhámos a saida. Não faz mal, havia outro, umas dezenas de km mais à frente. Estava fechado. Com a gasolina na reserva já há algum tempo, demasiado tempo, o GPS não dava indicações de postos próximos. Claro que para ajudar, a neve era soprada cada vez com mais força, a estrada parecia cada vez mais escura e estreita, e carros já nem se viam, em qualquer dos sentidos. E não sei se mencionei. Deviam ter para aí 1 ou 2 da manhã.

 

IMG_4477.jpg

IMG_4482.jpg

 

Eis que, qual oasis no meio do deserto, surge a placa "Cobleskill". Uma cidade! Estamos safos! Com o carro já a funcionar à base de fumos e boa vontade, vislumbrámos ao longe a palavra mágica "GAS".

 

Finalmente! Parámos o carro e dirigimo-nos à funcionária da bomba, do outro lado do vidro. Sorriso nos lábios. Estávamos salvos! 

 

"Please, can we put some gas?"


"No. This station is closed."

 

"But we came from so far, please let..."

 

"GO AWAAAAY. I'LL CALL THE POLICE. GO AWAAAAAAAAAY. GO AWAAAAY. I'LL CALL THE POLICE. GO AWAAAAAAAAAY".

 

Afinal ainda não. Não iamos por gasolina.

 

Mas nem tudo correu mal. Ainda tivémos a lucidez para olhar à volta. Mesmo ao virar da esquina, havia um hotel. Milagre dos milagres, uma cama, finalmente! 

 

IMG_4766.jpg

IMG_4773.jpg

 

No dia a seguir, já descansados, e com o posto de gasolina aberto, entrámos no carro. Finalmente podiamos abastecer.

 

Volta à chave, na ignição. Já não pegava. Não faz mal. O hotel ficava num alto, e para descer a gravidade serve. E... abastecemos o carro!

 

IMG_4784.jpg

IMG_4792.jpg

Rumo a Boston!

 

Pelos Alpes Austríacos - Innsbruck

File 23-08-16, 22 45 36.jpeg

 

Depois das colinas de Lisboa, de volta às montanhas da Áustria, agora à capital do Tirol, Innsbruck. Cidade no vale do Inn, dividida pelo Rio Inn, e um sítio muito in para fazer ski no Inverno. Eu fui no Verão, altura do ano em que o desporto de eleição passa a ser o montanhismo. Percebe-se bem porquê, já que a cidade é rodeada por montanhas de cortar a respiração.

 

Mas Innsbruck é também a cidade mais importante do oeste da Áustria, cultural e economicamente. No Verão existem concertos ao ar livre, recriações históricas e outros eventos, sobretudo na praça principal, onde se situa um dos edifícios mais emblemáticos da cidade, uma casa com um "pequeno" telhado de ouro. Ao andar pelas ruas do centro histórico, quase parece que estamos numa daquelas cidades de brincar, dos modelos de comboios eléctricos. É tudo tão harmonioso, tão "arrumado", tão bem enquadrado pela paisagem envolvente, e ao mesmo tempo tão carregado de história. Dá a sensação que, por aqui, o passar do tempo só veio dar à cidade cada vez mais beleza e complexidade.

 

IMG_8594.jpg

IMG_8611.jpg

IMG_8343.jpg

IMG_8451.jpg

IMG_8474.jpg

IMG_8338.jpg

IMG_8379.jpg

IMG_8578.jpg

IMG_8290.jpg

IMG_8377.jpg

IMG_8523.jpg

IMG_8524.jpg

IMG_8538 (1).jpg

IMG_8539.jpg

IMG_8368.jpg

IMG_8555.jpg

IMG_8327.jpg

IMG_8574.jpg

IMG_8423-Pano-Edit.jpg

 

Alfama - Santo Estevão

IMG_3447.jpg

 

O post de ontem já ia longo, sobretudo no número de fotos, por isso deixei para hoje as fotos daquele que é o meu recanto preferido de Alfama. O miradouro de Santo Estevão, junto à igreja do mesmo nome, é provavelmente um dos menos conhecidos de Lisboa. É um espaço simples, mas a vista sobre os telhados que descem em escada até ao rio não fica nada atrás daqueles que são mais frequentados. Além disso ganha a qualquer outro na tranquilidade da envolvente. Não há estradas nem carros. E mesmo pessoas só muito de vez em quando. Por baixo do miradouro fica uma das jóias escondidas da cidade, uma pequena fonte decorada a azulejos. Infelizmente já viu melhores dias, sem dúvida que já merecia um restauro.

 

IMG_4004-Edit.jpg

IMG_4014.jpg

IMG_4114 (1).jpg

IMG_4025.jpg

IMG_4026.jpg

IMG_4028.jpg

Alfama - Uma aldeia de Lisboa

IMG_3053 (2).jpg

 

Lisboa dificilmente se poderá comparar a outras cidades europeias, na sua monumentalidade. Claro que o Mosteiro dos Jerónimos ou a Torre de Belém são edifícios impressionantes pela sua beleza arquitectónica, mas o que torna a capital uma cidade verdadeiramente especial são os seus bairros históricos. Da Baixa até à Graça, passando pela Mouraria ou Alfama, são estas aldeias dentro da cidade, que dão a Lisboa a sua identidade única.

Certamente que todos têm os seus encantos, e merecem uma visita. Mas Alfama, para mim, tem uma magia muito especial, e é o meu sítio preferido da cidade. Gosto de passar por lá com alguma regularidade, e como já não ia há alguns meses, este Sábado matei saudades (embora nem todas as fotos deste artigo sejam deste fim de semana).

 

IMG_1738 (1).jpg

 

IMG_4061.jpg

 

IMG_1741 (1).jpg

 

Um passeio por este bairro, nunca é igual, e há sempre surpresas a descobrir, por mais vezes que deambule pelas suas ruas labirínticas, onde luz matinal tropeça a medo nas pedras da calçada, para entrar de rompante nas ruelas estreitas, onde por vezes o tempo parece não ousar passar. Ruas apertadas, onde só passa uma pessoa, que vão dar a palacetes de contos de fadas, fontes e painéis de azulejos que contam séculos de histórias.

E se algumas ruas parecem quase indiferentes ao avançar da civilização, outras renovam-se, seja através de inspiradas intervenções de arte urbana, seja através da criatividade mais ou menos tresloucadas dos seus habitantes. Também as decorações dos Santos Populares, teimam em resistir, dando o seu alegre contributo.

 

IMG_4041.jpg

Lavadouro Público

 

IMG_4054 (1).jpg

IMG_1479.jpg

IMG_4050.jpg

IMG_4081.jpg

IMG_1477.jpg

IMG_4013 (1).jpg

IMG_4086.jpg

IMG_4090.jpg

IMG_4057.jpg

IMG_4058.jpg

IMG_4064.jpg

 Obra da artista Ana Cristina Dias

 

Muitas das pessoas que conheço, moram em Lisboa e nunca foram a Alfama. Aliás sempre que por lá passo, além dos habitantes, quase só se vêm turistas estrangeiros. Gostava que estas fotos levassem alguns Lisboetas a descobrir aquele que parece ainda ser um segredo bem guardado. Mas não podem é ir todos ao mesmo tempo. Em algumas ruas não cabem todos...

Pelos Alpes Austríacos - Salzburgo

File 18-08-16, 08 03 08.jpeg

 

Deixando a região dos lagos, rumo à capital do distrito, património da humanidade desde 1996. Banhada pelo rio Salzach, Salzburgo é a terra natal de Mozart, e a sua presença faz sentir-se a cada esquina. Tipicamente a fazer publicidade a produtos com a sua imagem ou até a bombons. Teriam dado jeito ao compositor, que tinha dificuldade em sustentar o seu estilo de vida, este tipo de contratos publicitários. Outros tempos...

 

IMG_8236.jpg

 

 

Mas a cidade é muito mais que Mozart, ou o cenário de Música no Coração. Saltam imediatamente à vista as várias cúpulas das suas igrejas barrocas, de onde se destaca a catedral, e a altiva fortaleza de Hohensalzburg, que pela sua posição priveligiada, parece vigiar todos os nossos passos.

 

Infelizmente, foi uma curta passagem por esta cidade, e muito ficou por ver. O dia chuvoso também não ajudou. Não chegou para esconder o charme de Salzburgo, mas certamente não ajudou a que tirasse mais fotografias. Talvez numa próxima visita.

 

IMG_8227.jpg

103.jpg

111-Pano.jpg

IMG_8233.jpg

IMG_8238.jpg

IMG_8246.jpg

 

Herdade da Mourisca

IMG_0541-Pano.jpg

 

Situada em plena Reserva Natural do Estuário do Sado, a Herdade da Mourisca encontra-se numa região de sapal e salinas, e serve de habitat a várias espécies de aves.

 

As várias comportas e canais, que em tempos controlaram o caudal do Sado, para permitir o cultivo de arroz, ainda podem ser observados, embora tenham sido abandonados há muito. Melhor sorte teve o Moinho de Maré da Mourisca, recuperado da ruína pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, e explorado pela Câmara Municipal de Setúbal como um pequeno núcleo museológico.

 

A Herdade é visitável todo o ano, embora o museu tenha horários diferentes, conforme a época do ano. 

 

Mas não foi, claramente, a preocupação com horários que me fez levantar às 6h, numa manhã de Domingo, para tirar estas fotos do nascer do Sol. Mesmo assim não fui o único que teve essa ideia. Quando cheguei já lá estavam vários fotógrafos, a ocupar os melhores lugares (gente maluca como se pode ver aqui).

 

Quanto às fotografias, a primeira deste post, é um panorama criado aparir de seis fotos horizontais, e a foto seguinte foi a única em que usei tripé (foi logo a primeira que tirei, depois o Sol começou a querer espreitar, e deixei essas experiências para outro dia).

 

IMG_0525.jpg

IMG_0559 (1).jpg

IMG_0563.jpg

IMG_0569.jpg

 

Aqui no blog já tinha mostrado algumas fotos da Mourisca, e do mini porto palafítico que lá existe, mas ainda ficaram algumas por mostrar. Mas ficarão para outro post.

Pelos Alpes Austríacos - St. Wolfgang

File 07-08-16, 16 36 13.jpeg

 

No século X, Wolfgang de Ratisbona viu em sonhos a igreja que viria a construir. A providência divina indicou-lhe o local, na margem do lago Wolfgangsee, à sombra da montanha de Schafberg. Conta a lenda que o próprio diabo o ajudou neste seu desígnio. Talvez também ele se tenha maravilhado pela beleza do local, dado que o diabo, segundo consta, costuma ser avesso a este tipo de boas acções.

 

De facto St. Wolfgang, como ficou conhecida a povoação, depois de canonizado Wolfgang de Ratisbona, não foi fundada num sítio escolhido ao acaso. Nem é por coincidência que é um dos destinos de Verão mais populares da Áustria. Tal como St. Gilgen, não muito distante, fica no coração da região do Salzkammergut, emoldurada por montanhas imponentes e banhada pelo Wolfgangsee, lago de águas límpidas, de um azul turquesa que mais parece ter sido pintado com aguarelas.

IMG_8150.jpg

IMG_8183.jpg

IMG_8196.jpg

 

Parecem existir quase tantos pequenos hóteis como casas de habitação, em St. Wolfgnag, sendo que o mais conhecido é o Im weißen Rößl (A Estalagem do Cavalo Branco), celebrizado numa opereta de grande sucesso nas décadas de 30 e 40, e que conta com uma localização priveligiada, literalmente colado ao rio.

 

Quer se queiram férias tranquilas, longe da confusão, ou algo mais aventureiro, como desportos aquáticos, montanhismo ou trekking, St. Wolfgang é um destino a visitar pelo menos uma vez.

 

Tal como St. Gilgen, a melhor maneira de viajar até este pequeno paraíso, a partir de Viena, é provavelmente de carro, numa viagem de cerca de 3 horas, ou aproveitando uma das várias excursões pelas várias vilas e pontos de interesse da região.

 

IMG_8111.jpg

IMG_8132.jpg

IMG_8197.jpg

IMG_8125.jpg

IMG_8148.jpg

 

 

 

 

Encontrar um gigante, logo de manhã

 

As deslocações entre casa e o trabalho são muitas vezes aborrecidas. Fazer o mesmo percurso, todos os dias, durante anos, acaba por se tornar algo monótono. E apesar da rotina, tenho a sorte de, pelo menos parte do percurso, consistir em atravessar o rio Tejo, o que, convenhamos, não é uma das paisagens mais desagradáveis para contemplar ao inícios e finais de dia.

 

E isto é mais verdade ainda em alguns dias especiais, que mesmo ao fim de alguns anos a fazer este percurso, ainda vão acontecendo com alguma regularidade. Como foi este dia, em que o pequeno Cacilheiro da Transtejo se cruzou com um grande navio de cruzeiros.

 

Por acaso, nesse dia, tinha levado uma GoPro, que ainda a estava a aprender a usar, e logo calhou apanhar esta bela cena matinal. Este foi o primeiro vídeo que editei, e agora um ano depois de o ter publicado no youtube, vejo que está um bocado longo demais. Mas mesmo assim são só 2 minutos, e achei que valia a pena partilhar aqui no blog.

Pelos Alpes Austríacos - St. Gilgen

File 03-08-16, 22 55 44.jpeg

 

St. Gilgen é uma pequena vila Austríaca, na região de Salzkammergut. Embora tenha apenas perto de 4000 habitantes, este número aumenta consideravelmente nos meses de Verão. O lago de Wolfgangsee é um dos motivos de atracção desta zona dos Alpes que, com as suas águas cristalinas, atrai banhistas e praticantes de desportos aquáticos. É uma região também muito procurada para passeios nas montanhas ou escalada.

 

A maneira mais fácil de chegar a St. Gilgen, a partir de Viena, é provavelmente de carro, numa viagem de cerca de 3 horas, ou aproveitando uma das várias excursões pelas várias vilas e pontos de interesse de Salzkammergut.

 

IMG_8059.jpg

IMG_8065.jpg

IMG_8027.jpg

IMG_8087.jpg

 

 

Apareceu-me um Pokémon em casa!

0 (1).png

 

Decidi experimentar o Pokémon Go, já que não se fala de outra coisa. Mal abri o jogo, apareceu-me este pokémon, que não me lembro de ver na série de animação. Talvez seja raro?

 

Deu também para perceber que não sou grande coisa como treinador de pokémons, porque por mais que tente atirar-lhe com a pokébola, não a consigo apanhar.

 

IMG_2567.jpg

 

Como parece que vai ficar por cá, chamei-a de Haruki, como o escritor japonês, embora ela seja uma gata. E não se deixem enganar por este ar adorável. O plano dela para se tornar dona e senhora desta casa já está em marcha.

 

IMG_2547.jpg

 

IMG_2605.jpg

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D